Punto e basta

Depois de quase 8 anos, estou chegando a conclusão de que está na hora de encerrar este blog.  Não encerro de teimosia.  Não é que eu não tenha assunto; assunto é o que não falta.  A verdade é que não tenho tido vontade de escrever.  Culpa de quem?  Dos gênios que inventaram o Twitter e o Facebook.  Principalmente do cara que inventou o Twitter.  Atualmente, você não precisa de um blog para expressar qualquer sentimento e pensamento, muito menos para manter a família e amigos atualizados sobre o que está acontecendo com você.  No Twitter, tudo é imediato e sem muita enrolação. Tá com raiva? 140 caractéres. Cansada? 140.  Indignada? 140.  Foi a um show? 140.  Encontrou um amigo querido? 140.  Tudo pode ser comunicado, compartilhado e registrado em 140 caractéres.  E mais… 140 é pouco? Ué, é só usar mais 140 e pronto; todo mundo recebeu a informação inteira, na hora, “punto e basta”.

Em 2002, quando iniciei o Jardim, weblog era uma coisa “moderna”.  Ninguém precisava ficar editando “HTML” para publicar alguma coisa na internet (porque naquele tempo, os websites ainda eram 100% editados em HTML!).  Os blogs facilitaram as vidas das pessoas (ou devo dizer dos “geeks”?).  Todo mundo podia ter blog e website.  Era tudo super fácil. O negócio era ter um endereço no Blogger e usar a ferramenta como se usava o Hotmail (porque naquela época, o Gmail ainda não existia).

Em 2010, isso tudo é 100 vezes mais fácil.  Hoje em dia, você não precisa nem de um computador para se comunicar com o planeta.  Tem um celular com internet?  Pronto. Todo mundo já pode saber o que você está fazendo, onde está almoçando, o que está assistindo, que museu está visitando e quantas aspirinas você precisou tomar para “destruir”sua dor de cabeça.  Somos todos seguidores da filosofia Gillette: “A primeira faz tchan, a segunda faz tchun e tchan tchan tchan tchan!”.  Tudo rapidinho, sem complicação nenhuma, em qualquer lugar, a qualquer hora.

E o Facebook?  O Facebook é mais complexo,  cheio de coisinhas para quem ainda tem tempo para ficar jogando joguinhos com os amigos, editando álbuns de fotos, etc.  Para pessoas como eu, que gostam da atualização imediata; “escreveu, todo mundo leu”; mas ainda tem tempo para gastar com bobeirinhas tipo Farmville.

Então, é isso, em 2010, a internet é mais imediata do que em 2002, 2003, 2004, 2005, etc; e os blogueiros preguiçosos estão se transformando em twitteiros.  Por outro lado, os que gostam de falar e escrever já não precisam de blogs… o b se transformou em v, e atualmente, quem tinha blog, tem vlog.  Mas isto é um outro assunto… para um outro post, qualquer dia destes…

Tempo

Hello World! 

Depois de passar tanto tempo longe do blog, parece até que este é o primeiro post do Jardim. Pensei até em passar a régua neste meu cantinho virtual, mas não consegui.  Depois de quase 8 anos, o Jardim é meio que um álbum de fotografias antigo, que pode ser atualizado por um digital, com as fotos todas escaneadas e corrigidas, mas apesar da idade e das fotos amareladas, continua ali, registrando as memórias e o tempo.  Então, apesar das teias de aranha e traças; o Jardim continua aqui. E eu, também.  Continuo aqui.  Amiga do tempo, inimiga da falta do que fazer.

Nestes 2 últimos meses, desde que o maridon mudou para a Coreia do Sul por um período de um ano, ando assim, meio que desligada do tempo, deixando o meu “amigo” passar como se o relógio e o calendário não existissem.  Passo o dia passeando e conversando com minhas amigas, cuidando da casa e de papo fiado com os meus filhos de estimação.  Falo com o maridon ao telefone todos os dias.  Quando ele diz “bom dia”,  eu “boa noite”. E quando a lua dá as caras do outro lado do planeta, o sol aparece por aqui.

Alguns dias são curtos, outros compridos, mas os ponteiros do relógio não me assustam; e ao invés de contar os dias, eu deixo o tempo passar e sem me preocupar com nada, deixo a vida me levar.

2 segundos

Estou aqui!  Vivendo, mudando, aprendendo… Qualquer dia eu volto, para conversar, reclamar, registrar e trocar idéias.  Até lá?  Estou aqui.

Personas

Até hoje, eu usava os  wallpapers do iGoogle e os temas do Firefox para personificar o meu navegador e mudar de cara sempre que ficava enjoada.  Hoje, comecei a usar “Personas para o Firefox”. Você pode escolher entre “trocentos” mil designs e trocar de design em segundos.  Muuuuito legal!

É por estas e outras que o Internet Explorer só existe no meu computador, por causa des websites atrasados (que geralmente são de organizações importantes… blah!).  Do contrário, já teria aposentado o velhinho há muitos anos.

Batatas

Hmmm… batata é uma perdição.  Se é de batata é bom, né não? Aprendi uma receita super simples, rápida e gostosa.  A receita não tem nome, mas tem um cheiro… RS

Ingredientes:

  1. – batatas (usei 4 grandinhas, para 2/3 pessoas),
  2. – 1 tabletinho de caldo de carne (ou do que você gostar: frango, legumes, etc.),
  3. – água (usei duas xícaras… só para batata “nadar” mesmo),
  4. – queijo (o que você gostar… eu usei mild cheddar)

Modo de preparo:

  1. 1. Em uma panela  (eu usei um frigideira grande e funda) adicione as batatas picadas (cubos pequenos, mas não minúsculos), a água e o caldo de carne;
  2. 2. Cozinhe até as batatas até ficarem molinhas (no ponto de amasssar para fazer purê de batata) e a água diminuir e virar um caldinho grossinho (é por isso que não se deve acrescentar muita água);
  3. 3. Coloque as batatas em um forma e as cubra com o molho feito no cozimento das batatas;
  4. 4. Cubra tudo com muito queijo e leve ao fôrno para o queijo derreter e ficar coradinho…
  5. 5. Coma, coma e coma… RS 😉

Super extra vapt-vupt!

Inverno, o começo do fim

O mês de fevereiro me enlouquece.  Não aguento mais: o frio, as janelas trancadas, as jaquetas pesadas, os dias nublados, os dias de sol “falsificados”, as árvores nuas, a grama sem vida, o silêncio, a hibernação…  Os primeiros sinais da Primavera começam a aparecer, mas o final do Inverno é infinito.  Oh tortura…

Qual é a palavra?

Eu sei, eu sei… essa coisa de ter que digitar palavra para deixar comentário é uma chatice, mas os filhos da fruta dos spammers descobriram o blog há algumas semanas e resolveram torrar o meu saquinho imaginário com trocentos spams nos comentários todos os dias. Cansei. Sorry. 🙁

Valentines

vladstudio_inseparable_800x480

Passei por aqui só para deixar uma dica legal.  Há anos, só uso no meu computador, wallpapers do VladStudio.  O site cresceu bastante desde que me apaixonei pelos desenhos e “histórias” de Vlad Gerasimov.  Os wallpapers são super criativos e diferentes; além disso, há sempre alguma coisa nova e temática.

Dia 14 de fevereiro é Valentine’s Day por aqui, e para comemorar a data, além de fazer downloads (gratuitos) de wallpapers temáticos, também podemos enviar cartões dos nossos wallpapers preferidos.  Eu estou me deliciando!  Enjoy it porque é bom demais. 🙂

Perdidas

Deu branco.  Minhas palavras andam meio que perdidas e truncadas.  Estou tentando escrever um post sobre a minha cirurgia há quase uma semana, mas não consigo encontrar as palavras certas, o ritmo correto, a agulha e linha apropriadas.  Então, estou aqui, ainda me recuperando da cirurgia, subindo a escada degrau a degrau; e voltando a curtir a vida (e as comidas) sem mal-estar e dor.

Qualquer dia destes eu termino aquele post e o publico (ou não…).  Só espero que as palavras voltem, entrem na fila e consigam se organizar.  Palavras bagunçadas e perdidas me preocupam… é como um saco de pipoca vazio ou um papel rabiscado.  Um sinal de ansiedade… E ansiedade é preocupação.

Enfim, estou aqui… procurando as palavras.  Quando encontrá-las eu aviso… 😉

Será

O ano passado, por um motivo qualquer, passou e eu fiquei.  Fiquei em 2009, olhando o tempo passar, sem acreditar na correria.  Talvez, porque 2009 tenha sido super diferente.  Arrumei um trabalho fora de casa (depois de 8 anos), re-encontrei uma parte da minha personalidade que eu havia abandonado em algum lugar do passado, conheci novas pessoas de diferentes classes sociais e backgrounds (e me apaixonei por todas elas e suas histórias), tive vontade de sair correndo sem direção, fiquei doente de repente, tive medo de perder a minha saúde, tive medo de perder a minha mãe (que em exames de rotina, descobriu que estava doente e precisava se tratar com urgência), tive medo de enfrentar um ano inteiro sozinha (e por isso mesmo, fiquei olhando o tempo passar, sem poder segurar o relógio), fiz novos amigos e re-encontrei a minha fé.

Não fiz planos para 2010. Bom… mentira, fiz planos.  Quero ser feliz, sempre.  Quero voltar a estudar e encontrar uma carreira que eu ame.  Quero cuidar melhor da minha saúde (sem frescura).  Quero ver e rever as pessoas.  Quero viver, sem medo de ser feliz e sem pisar em ovos, sem olhar para os lados, sem fechar as janelas, sem medo do futuro.  Simplesmente viver o Presente da melhor maneira possível.

Em 2010, quero que o tempo corra… de patins, skate, bicicleta, carro, jatinho…  Para eu poder ter o meu amor ao meu lado todos os dias, para este ano de “distância” passar, para eu poder viajar ao Brasil e curtir a minha família e meus amigos, para eu poder olhar o calendário e ter orgulho de ter vencido mais uma batalha, para eu poder, finalmente, ser mãe.

Então, que 2010 seja o que tem que ser, porque tem que ser e porque será… sem medo, sem tristeza, sem derrota e sem ansiedade.  Cheio de VIDA!