Archive for the ‘Senhora Tecnologia’ Category

Uma livraria toda sua. :)

Saturday, April 30th, 2011

Há alguns anos atrás, quando os livros digitais começaram a ser populares, eu, assim como milhares de outros leitores apaixonados pelos tricôs das letras e palavras, não acreditava no sucesso de um produto tão frio: sem cheiro, sem textura, sem espessura, sem tamanho. Afinal, além do contéudo, os livros também encantam pelas suas histórias físicas, suas páginas amareladas ou novinhas,  peso,  cheiro… o livro que era da avó, a dedicatória da melhor amiga, a mancha da gotinha de café deixada por uma tarde fria de inverno; ou até mesmo, o cheiro de mofo acumulado pelo tempo.

Hoje, eu, assim como outros milhares de outros leitores apaixonados… (o resto vc sabe 😉 ), estou apaixonada por um gadget moderno, “simples” e prático. Depois de muito tempo e muita pesquisa, escolhi o Nook Color, da Barnes & Noble, uma rede americana de livrarias.

A idéia de ter todos os meus livros favoritos ao meu alcance, em qualquer lugar, em um segundo, todos ali: lindos e coloridos; venceu “uma” das minhas batalhas contra o amor ao papel e a história de cada livro. Pensei na praticidade, na rapidez (vc tem a sua coleção de livros e uma livraria em suas mãos, quando quiser!), no espaço, no peso e na companhia infalível; sucumbi a tecnologia, mais uma vez.

E o cheiro, o amarelo, a dedicatória e tudo mais; onde ficaram? No livros! Oras! Os digitais são práticos… os de papel são únicos e especiais. Os de papel ainda existem, eu ainda posso folheá-los, comprá-los, emprestá-los, amá-los! Ainda posso entrar em um livraria e passar horas viajando entre as prateleiras, posso entrar em um bibilioteca e passar horas fazendo cara e pose de intelectual, posso parar em um banca e comprar a revista do mês que saiu de manhã cedinho, mas posso também, ter todos os meus livros (os disponíveis, lançados na forma digital) dentro da bolsa, a qualquer hora, em qualquer lugar. Ou seja, eu posso SIM conviver com o tradicional e o moderno.

O Nook Color é quase um tablet, um computadorzinho de mão. O tamanho é perfeito, o peso é perfeito e a interface não está longe da perfeição. Quando você segura um NC, vc tem a sensação de estar segurando um livro. O peso e tamanho enganam o seu cérebro e vc tem a sensação de estar segurando um livro de papel. No começo você sente saudade de virar as páginas, depois você se acostuma com a praticidade de tocar na tela e te não ter que “lutar” contra a espessura de um livro grosso, por exemplo. Além disso, o que mais me encanta é ter um dicionário, literalmente, na ponta dos meus dedos, . Não sabe o significado de uma palavra? Você toca na palavra por dois segundinhos, um balãozinho aparece e te dá opções: consultar o dicionário local (q. já vem pré-instalado no aparelho) ou consultar a internet (Google ou Wikipedia – porque o sistema operacional é do Google)? Quer fazer uma anotação? Use o mesmo dedo (ou outro RS), os mesmos dois segundos e pronto… anota, marca, muda de cor., zoom in, zoom out. A letra está muito pequeninha… ué.. é só mudar! Não quer ler mais, trocar de livro, ler uma revista? Para, troca, lê; e depois, volta para o mesmo livro, na mesma página. Quer consultar um capítulo que já leu… toca a tela e escolhe o capítulo no index, tudo o que vc faria com um livro normal (e muito mais); a não ser derrubar o café, porque até “dobrar” as pontinhas vc, virtualmente, pode. 😉

Além disso, o NC também permite que você use a internet, divirta-se com joguinhos, ouça música, assista vídeos, veja fotos, edite textos de documentos pessoais, etc. Antes da última grande atualiação, vc podia usar internet e fazer tudo o que foi citado, mas os jogos eram limitados a dois ou três e não havia um aplicativo para edição de texto, entre outros. Agora, vc tem a opção de comprar outros joguinhos e outros aplicativos disponíveis na loja virtual da B&N, através do Nook Color. Não é um iPad (porque foi criado para os amantes dos livros), mas não fica muito atrás…

A tela brilha muito comparada com a do Kindle? Brilha… é uma tela linda, mas reflete a luz. E daí? Os protetores de tela, anti-brilho estão aí para serem usados. Eu uso protetores em meu NC e  netbook; a qualidade da imagem ainda é a mesma e, se eu quiser, tiro e volto a usar a tela com brilho, sem “machucar” o aparelho.

Enfim, meus braços estão abertos para o futuro… que venham os digitais, porque os de papel nunca morrerão.

(Clique na foto para ver a versão maior)

Algumas demonstrações do meu NC.  É claro que só coloquei o básico e não mostrei a minha “biblioteca”,  arquivos pessoais (fotos, documentos – txt, doc, pdf, etc.) e coleção de aplicativos; mas pelas fotos dá para ter um idéia do como é legal ter um Nook para leitura. 🙂

Informações técnicas? Ele é muito mais do que você imagina…Roda em um Android… o que é uma outra história, para um outro post. 😉

Ah sim… a bateria?  Dura dias e dias em standby e horas ativo (8 de acordo com as especificações do site, mas muito mais pela minha experiência); ou seja, você só não consegue ler por causa de bateria, se for o cúmulo da distração. 😉

Punto e basta

Monday, September 13th, 2010

Depois de quase 8 anos, estou chegando a conclusão de que está na hora de encerrar este blog.  Não encerro de teimosia.  Não é que eu não tenha assunto; assunto é o que não falta.  A verdade é que não tenho tido vontade de escrever.  Culpa de quem?  Dos gênios que inventaram o Twitter e o Facebook.  Principalmente do cara que inventou o Twitter.  Atualmente, você não precisa de um blog para expressar qualquer sentimento e pensamento, muito menos para manter a família e amigos atualizados sobre o que está acontecendo com você.  No Twitter, tudo é imediato e sem muita enrolação. Tá com raiva? 140 caractéres. Cansada? 140.  Indignada? 140.  Foi a um show? 140.  Encontrou um amigo querido? 140.  Tudo pode ser comunicado, compartilhado e registrado em 140 caractéres.  E mais… 140 é pouco? Ué, é só usar mais 140 e pronto; todo mundo recebeu a informação inteira, na hora, “punto e basta”.

Em 2002, quando iniciei o Jardim, weblog era uma coisa “moderna”.  Ninguém precisava ficar editando “HTML” para publicar alguma coisa na internet (porque naquele tempo, os websites ainda eram 100% editados em HTML!).  Os blogs facilitaram as vidas das pessoas (ou devo dizer dos “geeks”?).  Todo mundo podia ter blog e website.  Era tudo super fácil. O negócio era ter um endereço no Blogger e usar a ferramenta como se usava o Hotmail (porque naquela época, o Gmail ainda não existia).

Em 2010, isso tudo é 100 vezes mais fácil.  Hoje em dia, você não precisa nem de um computador para se comunicar com o planeta.  Tem um celular com internet?  Pronto. Todo mundo já pode saber o que você está fazendo, onde está almoçando, o que está assistindo, que museu está visitando e quantas aspirinas você precisou tomar para “destruir”sua dor de cabeça.  Somos todos seguidores da filosofia Gillette: “A primeira faz tchan, a segunda faz tchun e tchan tchan tchan tchan!”.  Tudo rapidinho, sem complicação nenhuma, em qualquer lugar, a qualquer hora.

E o Facebook?  O Facebook é mais complexo,  cheio de coisinhas para quem ainda tem tempo para ficar jogando joguinhos com os amigos, editando álbuns de fotos, etc.  Para pessoas como eu, que gostam da atualização imediata; “escreveu, todo mundo leu”; mas ainda tem tempo para gastar com bobeirinhas tipo Farmville.

Então, é isso, em 2010, a internet é mais imediata do que em 2002, 2003, 2004, 2005, etc; e os blogueiros preguiçosos estão se transformando em twitteiros.  Por outro lado, os que gostam de falar e escrever já não precisam de blogs… o b se transformou em v, e atualmente, quem tinha blog, tem vlog.  Mas isto é um outro assunto… para um outro post, qualquer dia destes…

Personas

Friday, February 19th, 2010

Até hoje, eu usava os  wallpapers do iGoogle e os temas do Firefox para personificar o meu navegador e mudar de cara sempre que ficava enjoada.  Hoje, comecei a usar “Personas para o Firefox”. Você pode escolher entre “trocentos” mil designs e trocar de design em segundos.  Muuuuito legal!

É por estas e outras que o Internet Explorer só existe no meu computador, por causa des websites atrasados (que geralmente são de organizações importantes… blah!).  Do contrário, já teria aposentado o velhinho há muitos anos.

Google Maps… Holly Shit!

Wednesday, December 17th, 2008

Holly shit!

Ontem, eu estava brincando no Google Maps e descobri que o meu bairro entrou na database do Street View, embora a numeração das casas esteja totalmente errada e a foto tenha sido tirada antes de comprarmos a casa (as janelas são de outra cor, a caixa de cartas ainda é a velha, etc).  Se você procurar pelo meu endereço e clicar no Street View, a casa que aparece é uma outra que fica quase no início da rua,  totalmente diferente da minha.  Para encontrar a minha casa você precisa usar o mouse e “percorrer” a rua até a minha casa.

Hoje, maridon resolveu brincar no Google Maps (porque ele descobriu o Street View a pouco tempo… RS) e começou a xeretar as casas dos nossos amigos e familiares e… descobriu que a casa do nossos amigos, em Oklahoma, foi fotografada quando estivemos lá por 3 dias, em Janeiro deste ano, durante a nossa viagem de mudança de New Mexico para South Carolina.

Ah? Como é que ele tem CERTEZA disso?  Ué… na foto: meu carro, a Durango dele e o nosso trailler (que já foi vendido) estão estacionados na porta da casa dos nossos amigos!

Agora me fala… conseguiu fechar a boca?  Porque a minha ainda está aberta! 🙂  Inacreditável!

De volta para o futuro

Tuesday, December 12th, 2006

Contas de telefone altas e taxas de ligações internacionais são coisas do passado… pelo menos para os milhares de brasileiros que vivem no exterior. Atualmente, os brasileiros que vivem nos Estados Unidos podem escolher entre centenas de companhias que prestam serviços VoIP (Voice over IP; ou simplesmente, um serviço de comunicação por voz, através da internet) e pagar de 0,02 centavos à 0,05 centavos de dólar, o minuto de uma ligação dos Estados Unidos para o Brasil.

Há algumas semanas atrás, resolvi testar um destes serviços e “incrementar” a minha conta no Skype. Assinei um número SkypeIn em São Paulo; e comprei créditos do SkypeOut. Skype é um serviço de chat por voz, via internet. O serviço básico, ligação de computador para computador, é gratuito, mas qualquer usuário do programa pode comprar créditos SkypeOut e fazer ligações do seu computador para um telefone qualquer no Brasil (ou em outro país do mundo), pagando tarifas baixíssimas. Além disso, a “empresa” Skype está testando um novo serviço , o”SkypeIn” (ainda em fase beta, embora esteja disponível a qualquer usúario). O SkypeIn consiste na assinatura de um serviço trimestral ou anual, em que o usuário escolhe e assina um número de telefone local, na cidade e país de sua preferência e, deste modo, passa a possuir um número de telefone através do qual pode receber ligações normais de qualquer telefone, em seu computador (ou seja, seus amigos e parentes podem ligar para você e pagar tarifa local – da cidade em que você escolheu o número – sem se preocupar com o roubo das tarifas internacionais).

Até aí, a coisa parece bastante interessante, mas um tanto quanto “desconfortável”; “atender o telefone no computador não é nada ‘natural’ e prático“; é o que pensamos, quando analisamos todos os pós e contras do serviço VoIP. Bom… mas é exatamente neste ponto, que o futuro-usuário-VoIP, desinformado, engana-se. Atualmente, com o crescimento do serviço VoIP no Estados Unidos (na realidade, no mundo inteiro), os fabricantes de aparelho de telefone já colocaram disponíveis no mercado, aparelhos de telefone que são conectados ao seu computador via USB e funcionam como um aparelho de telefone normal.

CIT200 Depois de pesquisar bastante, comprei o telefone sem-fio da Linksys, uma das empresas pioneiras na telefonia VoIP e nos aparelhos de telefone sem-fio para o serviço. Assim como qualquer outro aparelho de telefone wireless; o handset (o aparelho em si), funciona através de uma base conectada ao serviço telefônico, neste caso, ao seu computador. Infelizmente, neste caso, o telefone só funciona, se o computador estiver ligado e conectado ao serviço Skype (porque é um modelo fabricado para o Skype); mas já existem modelos de telefone, que funcionam sem o computador (apesar de ainda serem extremamente caros…) ou através de modems especiais (oferecidos por outras empresas, como, por exemplo: a Vonage, entre outras centenas de opções).

Anyhow, estou amando o serviço SkypeIn e SkypeOut. As ligações são muito boas, o preço das tarifas são escadalosos de baixos; e a diferença da qualidade entre o serviço telefônico normal e o VoIP, é mínima (para o usuário atento). Entretanto, é importante lembrar que o serviço VoIP não substitui 100% o serviço telefônico normal. O usuário VoIP deve manter sua linha de telefone normal para os casos de emergência. Apesar de ser muito bom, o serviço VoIP depende da internet e do seu provedor de acesso à mesma (além, é claro, do seu hardware: computador, modem… patati e patata); ou seja… as conexões broadband são milhares de vezes melhores do que as velhas (e quase aposentadas) conexões dial-up, mas… ainda, podem falhar… e daí, no caso de emergência… o bom e velho telefone, ainda é a melhor solução. 😉

*Ufa… cansei! 😉

P.S: Por que escolhi o Skype? Por que uso o Skype há muito tempo e confio na qualidade do serviço prestado pela empresa. Além disso, com o Skype, não existe nenhum tipo de compromisso e contrato mensal (ou anual). Você usa quando quer e não precisa comprar nenhum aparelho especial; você pode usar qualquer serviço, utilizando somente um phone de ouvido e um microfone. Os acessórios extras são escolhas do usuário (eu, of course, adoro coisas novas e não resisti a um acessoriozinho básico… Hahaha…).

Morte aos insetos virtuais!

Tuesday, November 7th, 2006

Spam; a maior e pior praga da internet. Ahã… porque enche o seu saco todos os dias, em qualquer endereço; sobre tudo e sobre nada… Irritante! Não adianta correr e se esconder. Não adianta instalar trocentos programas anti-spyware e todos os “wares” da vida. Um dia, a braga de pega; e quando pega… pelo amor do meu deusinho internético!

Usei um programinha da McAfee durante dois anos… Bom; mas chatinho. No primeiro ano, não tive problema algum com o software; já no segundo, vivia arrumando isso, reconfigurando aquilo, patati e patata. No final das contas, não estava valendo a assinatura anual.

Chutei o pau da barraca e mudei de endereço de email (aliás, endereços). Durante quase um ano, consegui escapar dos fdp dos spammers, mas uma vacilada idiota acabou espalhando o meu endereço para as listas de spammers de meio mundo! Recebia o mesmo tipo de spam umas trocentas vezes por dia. Criei filtros, ativei o anti-spammer do servidor na configuração máxima, plantei bananeira e dancei para o deus da chuva… Não adiantou. Saí a procura de um herói… ENCONTREI: 0spam.com, um website especializado em bloqueio de spams. Mata barata, pernilongo e qualquer outra praga e inseto chato que tente invadir sua inbox. Fácil, simples, gratuito (para a primeira conta de email) e eficiente. Estou usando a exatamente uma semana e estou adorando!

Tudo o que você precisa fazer é configurar o seu endereço de email na sua conta 0spam; e checar a mesma, antes de abrir o seu programa de email. Como? Depois de configurar sua conta no servidor 0spam, você instala um programinha pequeno e leve no seu computador, o 0spam Express, e pronto… tudo fica mais fácil e, com certeza, bem mais limpo.

Além de utilizar os filtros do 0spam, você também pode montar whitelists (endereços conhecidos, palavras, domínios) e blacklists. Simples e perfeito! Funciona com qualquer tipo de email: Hotmail, Yahoo, Gmail, AOL e todos os outros que oferecem serviço POP. Muito bom. Quase perfeito.

E se algum amigo seu mudar de endereço e enviar um email para você do endereço novo? Simples… seu amigo receberá uma mensagem do 0spam (no idioma que vc escolher) e poderá confirmar o próprio endereço, que será adicionado na sua whitelist automaticamente. E os spammers? Não podem fazer a mesma coisa? Podem… mas não fazem… e se fizerem, você tem o controle da sua whitelist o tempo todo… ou seja, adiciona e apaga emails da sua lista quando quiser.

Depois, se você gostar mesmo do serviço e quiser adicionar mais contas de email e serviços extras, você pode upgrade o seu plano de free para pago; e ser feliz. Livre de insetos chatos para sempre!