Archive for the ‘Letras & CIA’ Category

Uma livraria toda sua. :)

Saturday, April 30th, 2011

Há alguns anos atrás, quando os livros digitais começaram a ser populares, eu, assim como milhares de outros leitores apaixonados pelos tricôs das letras e palavras, não acreditava no sucesso de um produto tão frio: sem cheiro, sem textura, sem espessura, sem tamanho. Afinal, além do contéudo, os livros também encantam pelas suas histórias físicas, suas páginas amareladas ou novinhas,  peso,  cheiro… o livro que era da avó, a dedicatória da melhor amiga, a mancha da gotinha de café deixada por uma tarde fria de inverno; ou até mesmo, o cheiro de mofo acumulado pelo tempo.

Hoje, eu, assim como outros milhares de outros leitores apaixonados… (o resto vc sabe 😉 ), estou apaixonada por um gadget moderno, “simples” e prático. Depois de muito tempo e muita pesquisa, escolhi o Nook Color, da Barnes & Noble, uma rede americana de livrarias.

A idéia de ter todos os meus livros favoritos ao meu alcance, em qualquer lugar, em um segundo, todos ali: lindos e coloridos; venceu “uma” das minhas batalhas contra o amor ao papel e a história de cada livro. Pensei na praticidade, na rapidez (vc tem a sua coleção de livros e uma livraria em suas mãos, quando quiser!), no espaço, no peso e na companhia infalível; sucumbi a tecnologia, mais uma vez.

E o cheiro, o amarelo, a dedicatória e tudo mais; onde ficaram? No livros! Oras! Os digitais são práticos… os de papel são únicos e especiais. Os de papel ainda existem, eu ainda posso folheá-los, comprá-los, emprestá-los, amá-los! Ainda posso entrar em um livraria e passar horas viajando entre as prateleiras, posso entrar em um bibilioteca e passar horas fazendo cara e pose de intelectual, posso parar em um banca e comprar a revista do mês que saiu de manhã cedinho, mas posso também, ter todos os meus livros (os disponíveis, lançados na forma digital) dentro da bolsa, a qualquer hora, em qualquer lugar. Ou seja, eu posso SIM conviver com o tradicional e o moderno.

O Nook Color é quase um tablet, um computadorzinho de mão. O tamanho é perfeito, o peso é perfeito e a interface não está longe da perfeição. Quando você segura um NC, vc tem a sensação de estar segurando um livro. O peso e tamanho enganam o seu cérebro e vc tem a sensação de estar segurando um livro de papel. No começo você sente saudade de virar as páginas, depois você se acostuma com a praticidade de tocar na tela e te não ter que “lutar” contra a espessura de um livro grosso, por exemplo. Além disso, o que mais me encanta é ter um dicionário, literalmente, na ponta dos meus dedos, . Não sabe o significado de uma palavra? Você toca na palavra por dois segundinhos, um balãozinho aparece e te dá opções: consultar o dicionário local (q. já vem pré-instalado no aparelho) ou consultar a internet (Google ou Wikipedia – porque o sistema operacional é do Google)? Quer fazer uma anotação? Use o mesmo dedo (ou outro RS), os mesmos dois segundos e pronto… anota, marca, muda de cor., zoom in, zoom out. A letra está muito pequeninha… ué.. é só mudar! Não quer ler mais, trocar de livro, ler uma revista? Para, troca, lê; e depois, volta para o mesmo livro, na mesma página. Quer consultar um capítulo que já leu… toca a tela e escolhe o capítulo no index, tudo o que vc faria com um livro normal (e muito mais); a não ser derrubar o café, porque até “dobrar” as pontinhas vc, virtualmente, pode. 😉

Além disso, o NC também permite que você use a internet, divirta-se com joguinhos, ouça música, assista vídeos, veja fotos, edite textos de documentos pessoais, etc. Antes da última grande atualiação, vc podia usar internet e fazer tudo o que foi citado, mas os jogos eram limitados a dois ou três e não havia um aplicativo para edição de texto, entre outros. Agora, vc tem a opção de comprar outros joguinhos e outros aplicativos disponíveis na loja virtual da B&N, através do Nook Color. Não é um iPad (porque foi criado para os amantes dos livros), mas não fica muito atrás…

A tela brilha muito comparada com a do Kindle? Brilha… é uma tela linda, mas reflete a luz. E daí? Os protetores de tela, anti-brilho estão aí para serem usados. Eu uso protetores em meu NC e  netbook; a qualidade da imagem ainda é a mesma e, se eu quiser, tiro e volto a usar a tela com brilho, sem “machucar” o aparelho.

Enfim, meus braços estão abertos para o futuro… que venham os digitais, porque os de papel nunca morrerão.

(Clique na foto para ver a versão maior)

Algumas demonstrações do meu NC.  É claro que só coloquei o básico e não mostrei a minha “biblioteca”,  arquivos pessoais (fotos, documentos – txt, doc, pdf, etc.) e coleção de aplicativos; mas pelas fotos dá para ter um idéia do como é legal ter um Nook para leitura. 🙂

Informações técnicas? Ele é muito mais do que você imagina…Roda em um Android… o que é uma outra história, para um outro post. 😉

Ah sim… a bateria?  Dura dias e dias em standby e horas ativo (8 de acordo com as especificações do site, mas muito mais pela minha experiência); ou seja, você só não consegue ler por causa de bateria, se for o cúmulo da distração. 😉

Nunca mais esqueci

Thursday, January 29th, 2009

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
– depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio…

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

Canção, Cecília Meireles

Analisei esta poesia, na faculdade, há muitos anos atrás… decorei e nunca mais esqueci.

Resumão

Tuesday, July 8th, 2008

Hoje, quando garimpava a prateleira “Bargain Books” da livraria (Waldenbooks), no shopping da cidade, dei de cara com um livro entitulado, “An Incomplete Education – 3,684 things you should have learned, but probably didn’t.”; um livrão de conhecimentos gerais que reúne o conhecimento básico (se isso é possível) sobre vários assuntos, como: História da Arte, História, Economia, Literatura, Filosofia, Psicologia, Ciência Política, Religião, etc.  Não resisti, comprei.

Sabe aquela sensação de que a vida é muito curta para se aprender sobre tudo interessante e importante?  Pois bem… tenho a impressão de que ler esse livro será como ler o resumão da apostila que você deveria ter estudado, mas não estudou, antes da prova bimestral*.  😉 Um bom começo…

Ah essa crise dos 30… a gente quer ver tudo, ler tudo, comer tudo, fazer tudo, viver tudo…  Ansiedade? Sei lá… O que eu sei é que o tempo está passando e eu estou entrando em pânico.  Eh lêlê…

P.S: Voltarei a escrever sobre o livro… 😉

* Um pesadêlo que me persegue…