Archive for the ‘Blah blah blah’ Category

Pause

Wednesday, March 9th, 2011

2011 está voando, mas estes poucos meses, antes da volta do maridon da Coreia, estão passando mais devagar do que os 8 meses anteriores. Provavelmente, por causa do inverno e da ansiedade.

Todos os dias, os dias ficam mais compridos, anunciando o início da Primavera, mas também, a imortalidade da minha ansiedade. Para algumas pessoas, um ano não é muito tempo, para outras uma eternidade, para mim, este “um ano”, a “personificação” da expressão standby. É como se alguém estivesse assistindo o filme da minha vida e, de repente, apertasse o botão “PAUSE”… e aí a coisa complica, porque volto a reviver a mesma cena de sempre: eu parada na calçada, esperando para atravessar a rua; e os carros cheios de pessoas, vidas e histórias, passando, sem deixar um espaçinho minúsculo para eu atravessar.

Não estou reclamando. Quem sou eu para reclamar de alguma coisa? Mas o ser humano é um bicho complicado… e quando pensa demais, sai de baixo!

Eu penso demais… sempre pensei demais… e na tentativa de pensar “de menos”, fico perdida, meio que tentando encontrar a ponta do novelo de lã, todo embaraçado.

Estou assim… procurando a ponta do novelo de lã, tentando pensar “de menos” e ocupando o meu tempo com o “fútil”, na tentativa de passar a perna na horas, até que maridon volte para casa e, finalmente, aperte o botão “PLAY”.

Perdidas

Thursday, January 28th, 2010

Deu branco.  Minhas palavras andam meio que perdidas e truncadas.  Estou tentando escrever um post sobre a minha cirurgia há quase uma semana, mas não consigo encontrar as palavras certas, o ritmo correto, a agulha e linha apropriadas.  Então, estou aqui, ainda me recuperando da cirurgia, subindo a escada degrau a degrau; e voltando a curtir a vida (e as comidas) sem mal-estar e dor.

Qualquer dia destes eu termino aquele post e o publico (ou não…).  Só espero que as palavras voltem, entrem na fila e consigam se organizar.  Palavras bagunçadas e perdidas me preocupam… é como um saco de pipoca vazio ou um papel rabiscado.  Um sinal de ansiedade… E ansiedade é preocupação.

Enfim, estou aqui… procurando as palavras.  Quando encontrá-las eu aviso… 😉

Parecidas?

Monday, June 1st, 2009

Só se for no dedão do pé… e duvido muito…  Hahaha!

Pensar ou não?

Wednesday, February 11th, 2009

Fui xeretar os arquivos antigos do blog e percebi que este blog está mal das pernas… devagar, quase parando. Às vezes, penso em virar a última página e fechar o livro.  Aí repenso… espero mais um pouquinho e, no final das contas, o livro fica aberto.

Eu penso, repenso, penso de novo e, atualmente, tenho ficado mais indecisa do que qualquer outra coisa.  Esta mania de pensar e repensar tudo é cansativa e chata.  Pensar é bom, sensato, racional; mas repensar é teimosia.  Admito, sou uma control freak… quero controlar tudo o que está ao meu alcance (ou não).  Aí, gasto energia, tempo e “motivação” nesta “estória” de “pensar direito”.  Conhece aquela frase: “Olha… pensa direito pra não se arrepender depois.“?  Pois é… bullshit!  Quem pensa demais acaba não fazendo nada ou demorando pra fazer tudo (e é claro, enquanto escrevo, penso… e a “enrolação de linguiça” fica mais óbvia do que nunca).

Eu gostaria de ser o tipo de pessoa que pensa, decide e coloca em prática.  “Gostaria”… entretanto, por mais que eu tente praticar o exercício de “chutar o balde”, eu paro com a ponta do pé a 1cm do ‘dito-cujo” e penso: “Pra que chutar? Se eu chutar, vou fazer uma porcaria, o chão vai molhar, vou ter que correr para pegar o pano, secar e vai ser aquele trabalhão.“.  Então, não chuto.  Por um lado, evito a molhadeira; por outro, uma chutada de balde, às vezes, faz bem ao coração e a alma.

E neste “pensa e repensa”; o blog fica aberto e parado…

… assim como eu.

Eu ando assim…

Tuesday, February 10th, 2009

… parada, sem vontade de nada, vendo o tempo passar.  Perdida, esquecida, mais pra lá do que pra cá…

Não vejo a hora do Inverno passar e essa nuvem desaparecer… Eh lêlê…. 🙁

Espelho

Monday, October 20th, 2008

A depressão é uma doença estranha.  Não é física, mas dói no corpo inteiro.  Não sangra, mas machuca; e no meu caso, parece ser eterna. Às vezes, única; outras vezes, mínima, mas sempre presente.

O ano passado, encarei a depressão de frente e aprendi a lidar com os meus sentimentos e pensamentos.  Antes, era dinossauro.  Hoje é pulga.  Incomoda, esconde-se e, muitas vezes, existe sem ser notada.

Eu ainda penso muito… Penso mais do que deveria pensar.  “Argumento” a vida. “Pondero” os segundos.  “Alongo” os minutos… mas aprendi a olhar para o lado e, logo em seguida, para o espelho.

Parada

Tuesday, June 10th, 2008

Resolvi reler alguns posts antigos… relembrar o passado, meio que tentando me reencontrar no mundo virtual e no mundo real… A ansiedade e a depressão continuam sobre controle, mas eu ainda me sinto perdida… com os pés no chão, mas presos… como se eu tivesse pisado em um chão de concreto, 1 segundo antes do cimento endurecer. Eu fico tentando me reencontrar nas lembranças, nas palavras, nas fotografias; e tudo parece tão distante… é como se eu estivesse parada,  na beira de uma calçada; e na rua, a vida continua passando… sem farol vermelho.

Preciso derrubar uma fileira de tijolos que está me separando do mundo lá fora… sim, somente uma fileira, daquele muro enorme que tenho derrubado dia-a-dia… uma fileira complicada, cheia de incertezas… cheia de “SEs”, “planos não realizados”, “dúvidas”… é como estar à beira de piscina, cheia de vontade de pular, mergulhar e, depois de alguns segundos, respirar… mas eu continuo parada, não mergulho… não atravesso a rua… continuo parada, na calçada, na beira da piscina… Parada.

A conta, por favor?

Thursday, May 22nd, 2008

Engraçado… a cada ano que passa, fico mais P da vida em ver como as pessoas julgam outras sem antes realmente conhecê-las. Outro dia, um dos meus bloggers favoritos (bastante famoso) saiu do Brasil e visitou os Estados Unidos, por alguns dias… No final da viagem, escreveu um post enorme metendo a boca nos Americanos e, tentando, através das situações que viveu por aqui, justificar o porquê da atitude de superioridade dos mesmos…

Bom, não posso mentir, minha irritação foi tanta, que lutei contra os meus dedos para não comentar nada a favor dos “metidos” Norte-Americanos (como alguns Brasileiros teimam em ressaltar). Não comentei, porque depois de 7 anos de Estados Unidos, aprendi que não adianta bulhufas querer apontar as qualidades e realidade dos Americanos; principalmente, porque a maioria dos Brasileiros já tem uma opinião pré-“fabricada” dos mesmos… e quando “críticos” da cultura americana, tornam-se cegos e surdos.

Entretanto, algumas semanas atrás, um fato comum e diário da cultura americana me fez repensar a “metidez” dos meus vizinhos de país. Maridon e eu fomos almoçar com um casal de amigos em um restaurante da rede Chili’s. Pois bem… conversa vai, conversa vem, o restaurante estava lotado, e minha fome estava aumentando. Depois de alguns minutinhos, minha fome e impaciência eram tantas que comecei a acompanhar todos os garçons e garçonetes com os olhos. De repente, uma garçonete me chamou atenção… eu tive a impressão de que já a conhecia de algum lugar… parei, pensei e perguntei ao maridon: “Essa moça não é a gerente do banco da agência da base?”. Maridon não prestou atenção na moça, mas o marido da minha amiga respondeu: “Sim, é ela sim.“; e pronto… a conversa terminou por aí, porque aqui trabalho é trabalho…

Agora… pense bem… no Brasil, uma gerente geral de um banco (abre contas, faz empréstimos e aplicações… é importante na pirâmide da empresa) teria um segundo trabalho como garçonete em um restaurante popular?

E então… Nem preciso continuar, preciso? 😉

P.S: É não me venha dizer que o tal blogger estava se referindo aos Americanos X O Resto do mundo… porque essa “argumentação” é mais batida do que limão em caipirinha. RS Ah… e é claro, nem preciso ressaltar que ao citar os “Americanos”, refiro-me a população americana; e não à meia dúzia de imbecis ignorantes que encontramos em qualquer parte do planeta (nascidos em qualquer país).

Desculpe-nos pelo transtorno…

Tuesday, April 8th, 2008

Hehehe… algumas coisinhas ainda estão fora do lugar… ou seja, se você clicar AQUI e acabar ALI… paciência… ainda estou “transplantando” as flores. 😉 A Primavera está só começando. 😉

Alguns dos posts antigos não foram publicados individualmente, ou seja, se você clicar no permalink do post, cairá ALI, mas não encontrará o post que está procurando… paciência; a jardineira está sujando as mãos de terra; e logo… logo, tudo estará funcionando direitinho.

Update: Os arquivos antigos ficaram arquivados mesmo… Por enquanto estão no formado antigo, linkados em um página específica, mas com o tempo (e pesquisa) espero poder importá-los para o formado WordPress.

Entra caixas e gatos.

Wednesday, December 26th, 2007

100_3994A bagunça comecou, oficialmente… e entre caixas e gatos, dei um jeitinho de conectar o meu laptop, para passar o tempo na internet, enquanto os empacotadores terminam de encaixotar o resto da casa.

A Pitanga está adorando a bagunça. Pensei que ela ficaria assustada, mas que nada… está achando que tudo é festa. Já os gatos… estão bravos e assustados.

E o Natal? Foi diferente, mas inesquecível. Maridon e eu passamos a noite de Natal em casa com alguns amigos (nos divertimos pra caramba); e o dia de Natal em casa, nos preparando para o dia de hoje.

E a mudança? Começou hoje e terminará quando finalmente chegarmos a nossa nova casa, em Columbia, South Carolina. Até lá, estou encarando tudo como uma grande aventura… 😉