Archive for the ‘Ahã…’ Category

Roller Coaster

Friday, May 17th, 2013

Pois bem… voltei a escrever, com motivo e necessidade.  Escrever é saudável, ocupa o nosso tempo, despeja os pensamentos, dá prazer intelectual. Enfim, voltei.  Entre o post passado e este, melhorei bastante. Estou me cuidando, estou lutando contra os pensamentos negativos e contra o medo… o pior mostrinho da ansiedade.  A batalha não é fácil, mas será vencida; ou melhor… foi vencida. Chega uma hora que você pára de pensar nos mil motivos pelos quais você sente solidão, tristeza, sei lá o quê… porque é mesmo inexplicável.  Chega uma hora que você pára de deixar o egoísmo dominar a sua mente e abre os olhos e enxerga as outras pessoas, as outras vidas… No meu caso, não posso reclamar de nada.  Minha vida nunca foi perfeita, como a vida de todo ser-humano, mas sempre vivi coisas boas e tive sorte.  O meu problema é ser emotiva demais…  eu me preocupo com tudo e com todos, sofro por tudo e por todos… Às vezes, gostaria de ser menos “ser” e mais “humana”.  No sentido de ser menos “sensível” e mais “normal”… aceitar que errar é aceitável, perfeição não é possível, controle é relativo e a vida é uma roller coaster.  Nunca fiz planos, sempre deixei a vida me levar… e não é agora que vou começar a planejar a vida., porque no final das contas, a vida não pode ser planejada… devemos viver um dia por vez e ponto final.

O monstrinho de duas cabeças

Tuesday, May 7th, 2013

Será que é muito cedo para falar sobre o monstrinho que puxou o meu tapete e me deixou estatelada no chão?  Será que é muito cedo falar sobre a ansiedade e a depressão?  Um monstrinho de duas cabeças que há alguns anos atrás aterrorizou a minha vida, perdeu a batalha, mas voltou a bater na minha porta no começo deste ano?  Será que é muito cedo falar sobre isso, quando ele, o monstrinho, JÁ está no chão, mas eu ainda preciso ter forças para dar os últimos golpes e acabar com esta luta?  Nunca pensei que ele me derrubaria de novo… Sabe quando você está aprendendo a andar de bicicleta, aprende, acha que tem tudo sobre controle,  começa a correr e, de repente, aprende que brecar descendo uma rampa não adianta, você vai se esburrachar do mesmo jeito? Pois então… eu reconheci todos os sinais, mas quando corri para pedir ajuda, já estava toda roxa do tombo olímpico.  Passei por dias difíceis… mas estou lutando, ou melhor dizendo, estamos (porque meu marido está ao meu lado a cada segundo).  Tive que deixar a faculdade este semestre… maridon teve que voltar do Afeganistão as pressas, porque parei no hospital duas vezes (além das visitas semanais ao pronto-socorro), mas estou lutando… remédio, terapia, palavras, palavras, palavras…  Desta vez, tive (e tenho) sintomas psicosomáticos… um formigamento irritante nas pernas, nas mãos, nos braços e na cabeça, causado pela tensão nos ombros, no pescoço e nada pernas… Tenho a sorte de ter uma médica que é um amor… calma e compreensiva, daquelas que responde todas as trocentas perguntas de um pessoas ansiosa…

Minha terapeuta diz que eu só preciso abrir a porta… a chave está lá, só preciso dar mais alguns passos e abrir… Abrir e sair para ver o sol de novo.

“OK, você venceu, batata frita”

Tuesday, November 16th, 2010

Uma dúzia de aranhas disseram SIM, meia dúzia de amigos e leitores disseram NÃO, eu parei… pensei… pensei… pensei e decidi manter o blog aberto e voltar a escrever, devagar, devagarinho… Os motivos? Preciso de um hobby, preciso registrar o tempo, preciso exercitar o meu pensamento e discurso; e preciso, desesperadamente, praticar o meu Português. Eu sei, parece besteira e papinho de brasileiro metido a besta, morando no exterior, mas meu Português está mais pra lá do que pra cá. Não porquê eu use o Inglês muito mais do que o Português (até em pensamento), mas porquê tenho lido e escrito muito pouco no meu idioma materno (principalmente para uma “pessoa” que possue o título de “Bacharel em Letras” e um passado e história nas salas de aula). Os meus errinhos bobos estão me incomodando muito. E estes “brancos” de linguagem estão infestando a minha vida como pulgas, no Verão. Então, antes que os errinhos deixem de ser falta de vergonha na cara para serem ridículos e absurdos; eu digo que fico, escrevo, erro e reaprendo. A partir deste post, prometo ressuscitar a gramática da Língua Portuguesa e exercitar o boca-a-boca na minha velha amiga, quantas vezes forem precisas até que eu pare de gaguejar e deixe de usar o dicionário a cada 5 minutos.

Então, eu escrevo, tu escreves, ele escreve, nós escrevemos… 😉

2 segundos

Sunday, April 18th, 2010

Estou aqui!  Vivendo, mudando, aprendendo… Qualquer dia eu volto, para conversar, reclamar, registrar e trocar idéias.  Até lá?  Estou aqui.

Qual é a palavra?

Thursday, February 11th, 2010

Eu sei, eu sei… essa coisa de ter que digitar palavra para deixar comentário é uma chatice, mas os filhos da fruta dos spammers descobriram o blog há algumas semanas e resolveram torrar o meu saquinho imaginário com trocentos spams nos comentários todos os dias. Cansei. Sorry. 🙁

Próximo Capítulo

Monday, January 4th, 2010

Antes que a primeira semana do ano novo termine, resolvi passar por aqui para dizer um oi e desejar a todos um 2010 maravilhoso, cheio de paz e realizações. 🙂  Feliz 2010!

No meio da multidão

Tuesday, August 11th, 2009

Hey… olha eu aqui, no meio da multidão! 😉

Sumi do blog, mas não desapareci do mapa.  Tenho trabalhado bastante e aprendido mais ainda.  Há dias, em que tenho vontade de sentar e escrever tudo o que me irrita e me deixa abismada em meu trabalho, mas aí coloco a cabeça no travesseiro e chego a conclusão de que ninguém merece ficar ouvindo reclamação.  É o que diz aquele velho ditado: “os incomodados que se mudem”; e eu tenho que “mudar” ao invés de reclamar, reclamar e reclamar.  Então, um dia, quando os meus pés estiverem bem longe do “W gigante”, eu sento e escrevo.  Por enquanto, observo e continuo trabalhando.

Voltar a trabalhar, apesar do stress e da “decepção”, fez muito bem pra mim; reencontrei alguém que eu tinha perdido há 8 anos, reencontrei a Vanessa capaz de “fazer e acontecer”, a Vanessa capaz de trabalhar e ser mais do que somente mais um número na lista de funcionários, no meio da multidão.   Além de também, voltar a enxergar tudo o que a vida sempre me deu de bom… pais e avós maravilhosos, que sempre lutaram muito para que eu tivesse uma boa educação e uma boa vida; e quando eu digo educação, não me refiro somente a educação escolar, porque apesar de extremamente necessária, não é a mais importante; refiro-me principalmente a educação que vem de dentro de casa, ou melhor dizendo, de dentro de um lar, aquela que ensina um ser humano a SER humano, a respeitar o próximo, a ser educado, a ser honesto, a ser cidadão, a ser trabalhador, etc; tudo aquilo que todos os pais tem a obrigação de fazer, mas poucos tem a coragem, o pulso forte e a moral de tornar realidade.  Portanto, termino este post agradecendo meus pais ( É Dona Dilma! Essa é pra vocês, chama lá o Carlão para ler este post com você), por absolutamente TUDO o que me deram: do pão ao tapa na bunda. 😉  Tudo.

Obrigada, Mãe e Pai.  Obrigada por TUDO.  Suas noites mal dormidas, horas de trabalho, tapinhas na bunda, broncas, regras, amor e muito carinho não foram em vão; o Fá e eu não somos rei e rainha, mas somos tudo aquilo que um ser humano precisa ser: humanos e honestos.

Dizer “eu amo vocês” é muito pouco, porque o meu amor por vocês é milhões de vezes maior do que a expressão.  Obrigada!  Obrigada!  Obrigada!  Vocês foram, são e sempre serão os melhores pais do mundo; os melhores pais do meu mundo.

Interessante…

Sunday, July 26th, 2009

… bastante interessante.

MEU:

mypoliticalcompass

DELES:

politicalcompassex

E o seu?

Novo Velho

Friday, July 10th, 2009

Hmmm… fiz a atualização para o WordPress “novo” (não tão novo assim, faz tempo que eu precisava atualizar).  Quer saber?  Eu gostava mais do antigo.  Anyway, preciso ir me arrumar para o trampo. 😉

Man in the Mirror

Thursday, June 25th, 2009

“A Willow Deeply Scarred
Somebody’s Broken Heart
And A Washed-Out Dream
They Follow The Pattern Of The Wind, Ya’ See
Cause They Got No Place To Be
That’s Why I’m Starting With Me

I’m Starting With The Man In The Mirror
I’m Asking Him To Change His Ways
And No Message Could Have Been Any Clearer
If You Wanna Make The World A Better Place
Take A Look At Yourself And Then Make A Change”