A mão que planta

Eu Há algum tempo, tenho pensado em escrever uma mini-biografia sobre a Bewitched… ou melhor, a mini-biografia sobre a Vanessa, que na internet não se reconhece se não “Be”, como os amigos feitos através da internet costumam me chamar. Uma mini-biografia, talvez, fosse super exposição, mas uma micro-biografia seria explicativa, clarificadora… 😉

Nasci na cidade de São Paulo, cidade que possui o meu coração, mora na minha saudade, vive nas minhas lembranças e faz parte do meu pensamento. São Paulo, para mim, é muito mais do que a cidade onde nasci e cresci, São Paulo é o meu ninho, o lugar onde estão as minhas raízes, as minhas pegadas e os primeiros capítulos da minha vida.

Meus pais são… meus pais, únicos, insubstituíveis; seres-humanos cheios de defeitos, sonhos realizados e não-realizados, qualidades, vida, amor e paciência. 😉 Meu irmão? …ontem um menino, hoje um homem… simplesmente, meu irmão. Minha família? Avós… tios… tias… primos… primas… partes de mim.

Nunca fui uma menina-mulher “problemática”. Quando menina, sempre tive boas notas, sempre fui elogiada e sempre tive amigos… amigos inesquecíveis. Quando mulher, sempre tive boas notas *risos*, bons amigos, bons horários, bons trabalhos, bons dias, bons relacionamentos. É claro, tive minhas crises existenciais como adolescente, mas qual adolescente não acha a sua vida uma porcaria? Paciência… o tempo ensina e corrige tudo.

Fiz Magistério, mas nunca lecionei para crianças… não era o meu forte. Sou Bacharel em Letras e como já deu para perceber, amo as palavras, os acentos, os adjetivos, os substantivos, as reticências… Na universidade, fiz amigos para vida inteira, pessoas que até hoje, fazem parte da minha vida e, com certeza, estarão no meu futuro.

Meu casamentoUm computador ligado a uma rede internacional de informação e novidades, abriu para mim, as portas de um mundo desconhecido; fiz amigos, conheci minha vida, meu amor, minha metade masculina. Vivi um amor impossível, um conto de fadas que tornou-se realidade. Casei-me com um militar americano, com um coração brasileiro e enorme, feito para mim sobre medida… perfeito. Coloquei minha carreira em uma gaveta, meu passado em uma caixa de sapatos e em um álbum de fotografias; e meu futuro… em um caderno de caligrafia.

Encarei a minha mudança para os Estados Unidos como uma nova escola, um novo curso. Disse aos meus colegas de trabalho, amigos e familiares, que a menina de marias-chiquinhas estava pronta para aprender… e como tenho aprendido.

Em Março de 2001, saí da terra da garôa, São Paulo; e aterrizei na terra do gêlo e do Tio Sam, Alasca; onde curti as montanhas cobertas de neve, os dias frios, a Natureza, a Aurora Boreal e o sol da meia-noite, por saudosos 6 meses, antes de fazer as malas para minha próxima parada.

Meu marido e eu, em nossa casa, em Sumter.Durante 6 longos anos, morei em New Mexico (Estados Unidos), em uma base militar próxima a uma cidadezinha minúscula, com nome de gente, Clovis… e com “muita pouca” gente. Fiz novos amigos, aprendi a preencher o tempo com longas conversas e horas de enrolação. Chorei, sorri, caí, levantei… vivi.

Em Janeiro de 2008, meu marido e eu fizemos as malas, novamente. Compramos um trailler e atravessamos o país, com nossos filhotes (3 gatos, 1 cachorro e 1 arara) até chegarmos à Sumter, Carolina do Sul. Reencontramos a Natureza, o calor, a umidade, as cidades e pessoas “ocupadas”; o outro lado do túnel.

Encontramos a casa dos nossos sonhos; e, hoje, curtimos o nosso cantinho, como se tudo isso ainda não fosse realidade.

EuO futuro? Ninguém sabe, mas não pretendemos sair daqui. Em alguns anos, o amor da minha vida encerra 20 anos de carreira militar; e encara a vida civil como um “soldado” cheio de coragem, e um adolescente cheio de dúvidas e incertezas. Até lá, quem sabe, a família tenha aumentado…

Sou assim… verdadeira, pensativa, transparente, cheia de reticências, palavras, sentimentos, lembranças, sonhos, amor e coragem… sou assim… eu… Vanessa.

(Escrita em 12 de junho de 2003 – Atualizada em 07 de abril de 2008)