Capítulo XL

“O tempo passa, o tempo voa… e a poupança Bamerindus…” Ih! Bamerindus?  O que é isso? 😉

O tempo passou, a poupança Bamerindus passou, e os 30 se transformaram em 40!  Há 10 anos atrás, registrei, aqui mesmo no blog, a chegada dos meus trinta anos de idade.  Hoje, registro a chegada dos 40… Ahã… “quaaaarenta”!  Dia 15 de abril passado, recebi de braços abertos, o início do capítulo 40.    O número assusta, mas não machuca (tanto…). Para mim, os 39 foram muito mais complicados dos que os 40 em si.  É claro, tudo muito simbólico e psicológico.  Geralmente, as mudanças da idade não aparecem de um dia por outro; a ciência explica que o “envelhecimento” físico começa mesmo aos 25, mas estamos cansados de saber que não prestamos atenção em nada disso, até a chegada dos 30. Eu?  Parei para pensar no envelhecimento físico, quando as letrinhas começaram a ficar menores, aos 38…  A necessidade de usar óculos para leitura foi um choque emocional.  Sim!  Porque nunca precisei usar óculos; mas com o tempo, me acostumei fazer cara de intelectual e comecei a curti a vida em HD.  😉 É claro, passei pela crise dos 30… academia, comida natural e saudável, trocentos cremes, etc, etc, e tal; mas essa crise passa, assim como os anos.

Os 39 e a proximidade dos 40 é que foram complicados.  Digo, psicologicamente complicados. Você pára para pensar e começa a achar defeito em tudo o que não tem defeito.  Pior, você começa a aceitar que não tem mais 20 anos… ahã, não pode planejar trocentos filhos biológicos (e, as vezes, nem um), começa a sentir uma dor aqui, outra ali,  a ouvir dos médicos que precisa prestar atenção no colesterol, no açúcar, nos cambau, “porque embora você não tenha problema nenhum AINDA, a chegada dos quarenta é um fator que aumenta muito a possibilidade de você desenvolver alguma tipo de doença…”, blah blah blah…  Você pára para pensar que você não é a única pessoa que está envelhencedo… todo mundo está envelhecendo… e aí, o buraco é mais embaixo.  Sim, envelhencendo… Eu sei, eu sei, hoje em dia, os 40 são os novos 30, mas aos 40 você precisa tomar decisões definitivas, como por exemplo: ter filhos?  ou ter mais filhos?  Uma definição definitiva.  Para mim?  Fácil e ao mesmo tempo complicada. Fácil de argumentar, difícil de aguentar.  Sim, eu posso argumentar por horas a decisão de não ter filhos, mas não suporto uma única hora de cobranças.

Enfim, cheguei aos 40 e pretendo chegar aos 80, 90, 100!  Não escondo minha idade (acho isso uma babaquice sem tamanho…).  Só quero ser feliz, e felicidade não é um número. Então tão… Feliz 40 para mim! E para todos que estão chegando neste capítulo tão importante.

Comments are closed.