Mais uma virada.

2011 passou, 2012 chegou e este blog continua mais parado do que nunca. O importante é que 2011 foi um ano bom.  Na verdade, um ano bem melhor do que eu esperava. Em 2011 aprendi que a vida é muito mais do que as notícias ruins nos jornais noturnos… ou nas previsões loucas e negativas da nossa imaginação. Este papo de pensar positivo e agir positivo é muito mais poderoso e eficiente do que imaginamos.  Viver não é complicado… o ser-humano com o seu complexo de grandeza e importância singular é que torna a vida complicada. Aprendi a parar de me preocupar (ou a enganar a minha preocupação excessiva) e,  simplesmente, viver, um dia de cada vez, uma hora de cada vez, sem ficar pensando no amanhã, no por quê, no será e no “se”.  É óbvio… não deixei de ser quem sou, não passei a viver sem me preocupar com tudo e com todos, mas deixei de viver para me preocupar… e esse “deixar” revolucionou a minha vida. Sim, aprendi a controlar a minha ansiedade… com maestria.  Vitória!

Em 2011, maridon voltou para casa, depois de passar um ano na Coreia do Sul a trabalho. Neste meio tempo (de maio de 2010 à maio de 2011), o tempo passou sem eu pensar na horas… Senti saudade, mas sobrevivi… ou melhor dizendo, vivi. A saudade doeu, mas não feriu.  A preocupação existiu, mas não resistiu, a ansiedade deu as caras, mas enfiou o rabo entre as pernas e saiu de fininho. Passei na prova final.  Venci.  Vencemos.  As páginas viraram, o capítulo acabou, e a viagem longa para a Coreia ficou no passado.  Ponto final.  Bem assim… foi e pronto.

Em 2011, conheci pessoas lindas: pessoas que eu já conhecia no mundo virtual, mas não conhecia pessoalmente; e pessoas que moravam aqui, bem pertinho, em outra cidade.

2011  foi o ano em que deixei de ser somente brasileira para definitivamente e oficialmente ser, também, americana.

Dei abraços longos e sentidos de “despedida” em MAIS amigos que fizeram as malas para morar em outro estado (um capítulo que começou em 2010 com a mudança de OUTROS amigos… em efeito dominó); assim como dei abraços longos, cheios de saudade em amigos e familiares que eu não via há muito tempo.

E depois de tantos abraços, batalhas, saudade; depois de tanta distância, fechei o ano com chave de ouro com uma visita maravilhosa ao Brasil. Pela primeira vez, voltei ao Brasil para visitar Sampa de passagem e, finalmente, conhecer a nova casa dos meus pais em Itanhaém, no litoral de São Paulo.  O ano passado, meus pais resolveram deixar a bagunça e histeria paulistana para viver em uma pequena cidade litorânea, em uma casa que fica a dois quarteirões do mar; uma pequena cidade onde as pessoas começam o dia com uma caminhada a beira da praia e terminam o dia conversando na varanda ao som das ondas do mar.

Enfim, que 2012 seja assim… um ano calmo, simples, com mudanças boas e tranquilo… cheio de paz e de esperança.

Comments are closed.