Pause

2011 está voando, mas estes poucos meses, antes da volta do maridon da Coreia, estão passando mais devagar do que os 8 meses anteriores. Provavelmente, por causa do inverno e da ansiedade.

Todos os dias, os dias ficam mais compridos, anunciando o início da Primavera, mas também, a imortalidade da minha ansiedade. Para algumas pessoas, um ano não é muito tempo, para outras uma eternidade, para mim, este “um ano”, a “personificação” da expressão standby. É como se alguém estivesse assistindo o filme da minha vida e, de repente, apertasse o botão “PAUSE”… e aí a coisa complica, porque volto a reviver a mesma cena de sempre: eu parada na calçada, esperando para atravessar a rua; e os carros cheios de pessoas, vidas e histórias, passando, sem deixar um espaçinho minúsculo para eu atravessar.

Não estou reclamando. Quem sou eu para reclamar de alguma coisa? Mas o ser humano é um bicho complicado… e quando pensa demais, sai de baixo!

Eu penso demais… sempre pensei demais… e na tentativa de pensar “de menos”, fico perdida, meio que tentando encontrar a ponta do novelo de lã, todo embaraçado.

Estou assim… procurando a ponta do novelo de lã, tentando pensar “de menos” e ocupando o meu tempo com o “fútil”, na tentativa de passar a perna na horas, até que maridon volte para casa e, finalmente, aperte o botão “PLAY”.

3 Responses to “Pause”

  1. Priscila Says:

    Eu imagino como é isso pelo tempo q passei em Dubai sabendo que aquilo nao iria durar muito, mas que eu tinha que esperar. Já já ele ta de volta, se Deus quiser!

  2. Luciana Bordallo Misura Says:

    Ai mas ficar longe assim tanto tempo deve ser mesmo uma tortura! 🙁 Voce ta trabalhando? Quando eu quero que o “tempo passe mais rapido” eu me atiro ao trabalho e pelo menos nao fico pensando nos minutos que nao passam…

  3. Josane Mary Says:

    Oi, Vanessa, tudo certinho?
    Encontrei o seu blog no ‘Mundo Pequeno’ e vim fazer uma visitinha!
    Muito fofo o post! Envio vibrações de paz e que o Sol e Primavera cheguem logo, de fato, para encantar os seus dias mais e mais, enquanto aguarda pelo retorno do seu amado, ok?

    Também sou expatriada; sai do Brasil em 2000 e fui para os EUA, Boston, para estudar na Harvard, onde estudei até 2002. Desde 2003, moro na Holanda.
    O choque cultural existe e acaba sendo benéfico – de uma maneira ou de outra -. Sou da opinão que existem coisas boas e ruins em qualquer lugar do planeta! Nós é que temos que ressignificá-las à nossa moda!

    Será uma alegria se visitar o meu cantinho virtual, que é: http://josanemary.wordpress.com/mevrouw-jane/

    E será uma outra alegria, se quiser ler o prefácio do meu livro: Mevrouw Jane (o prefácio não foi feito por mim, mas por um outro escritor, um já reconhecido no mundo literário). Se gostar – ou não – por favor, deixe um comentário; vou adorar ler a sua opinião!

    Tenha um ótimo dia!
    Grande abraço.
    Josane Mary