Archive for November, 2010

Tudo ao mesmo tempo… agora

Thursday, November 18th, 2010

Durante este tempo de silêncio, o Jardim ficou parado, mas a vida continuou (opa… e não deveria ter sido diferente). Neste meio tempo, parei de trabalhar (comentei sobre isto por aqui), meu marido foi morar na Coreia do Sul por um ano (também comentei sobre isto por aqui) e eu voltei a não fazer nada; e a fazer muitos planos…

Quero voltar a estudar, mas estou cheia de dúvidas e incertezas. Não sei se enfio a cara em uma carreira completamente nova, que sempre me interessou muito; ou se volto para a Educação, o que sempre me fez muito feliz, mas hoje, me assusta bastante. Felizmente, grana não é problema. Antes de deixar a Casa Branca, o ex-presidente George W. Bush assinou uma lei, que talvez tenha sido a única coisa boa que ele tenha feito enquanto presidente. Os militares ativos que possuem o benefício da “GI Bill” (educação paga pelo governo, para resumir o “romance”) podem transferir seus benefícios para a esposa (ou esposo) ou para os filhos. Enfim, maridon transferiu os benefícios dele para mim e tenho 3 anos de ensino superior garantidos. Já arrumei minha papelada toda e, agora, preciso somente escolher o que quero fazer e mergulhar nos livros… Entretanto, não sei se escolho uma nova carreira, em Psicologia ou, como já disse antes, volto para a Educação.

Além de escolher um segundo curso universitário, também quero ser mãe; e aí a coisa complica mais um pouquinho. Se eu voltar para a Educação, precisarei estudar bastante, mas estarei navegando em águas tranquilas e familiares; mas se escolher entender melhor o comportamento humano, terei que estudar muito… e este “muito” será muitíssimo. Então, paro para pensar e surgem as perguntas: será que eu consigo encarar um segundo curso universitário e uma gravidez ao mesmo tempo? E depois, quando o baby chegar? Ser estudante e ser mãe de primeira viagem ao mesmo tempo? Consigo? E “mais depois ainda”… consigo estudar, ser mãe e trabalhar ao mesmo tempo? Porque se o meu caminho for a “Terapia”, 3 anos de estudo não serão suficientes.

Só tenho certeza de uma coisa: “Penso, logo existo.”; além disso, não sei de nada… E neste pensar, o tempo passa e eu continuo não fazendo nada. Agora alguém me responde: quando é que deixei de ser prática e comecei a pensar demais? O problema não é o pensar, o problema é o relógio. O tempo que eu tento ignorar, mas corre pelas minha veias como sangue.

E aí…? O que eu faço? Compro uma bicicleta?

P.S: Eu estava lá! O primeiro de muitos shows na minha vida. 🙂

“OK, você venceu, batata frita”

Tuesday, November 16th, 2010

Uma dúzia de aranhas disseram SIM, meia dúzia de amigos e leitores disseram NÃO, eu parei… pensei… pensei… pensei e decidi manter o blog aberto e voltar a escrever, devagar, devagarinho… Os motivos? Preciso de um hobby, preciso registrar o tempo, preciso exercitar o meu pensamento e discurso; e preciso, desesperadamente, praticar o meu Português. Eu sei, parece besteira e papinho de brasileiro metido a besta, morando no exterior, mas meu Português está mais pra lá do que pra cá. Não porquê eu use o Inglês muito mais do que o Português (até em pensamento), mas porquê tenho lido e escrito muito pouco no meu idioma materno (principalmente para uma “pessoa” que possue o título de “Bacharel em Letras” e um passado e história nas salas de aula). Os meus errinhos bobos estão me incomodando muito. E estes “brancos” de linguagem estão infestando a minha vida como pulgas, no Verão. Então, antes que os errinhos deixem de ser falta de vergonha na cara para serem ridículos e absurdos; eu digo que fico, escrevo, erro e reaprendo. A partir deste post, prometo ressuscitar a gramática da Língua Portuguesa e exercitar o boca-a-boca na minha velha amiga, quantas vezes forem precisas até que eu pare de gaguejar e deixe de usar o dicionário a cada 5 minutos.

Então, eu escrevo, tu escreves, ele escreve, nós escrevemos… 😉