No meio da multidão

Hey… olha eu aqui, no meio da multidão! 😉

Sumi do blog, mas não desapareci do mapa.  Tenho trabalhado bastante e aprendido mais ainda.  Há dias, em que tenho vontade de sentar e escrever tudo o que me irrita e me deixa abismada em meu trabalho, mas aí coloco a cabeça no travesseiro e chego a conclusão de que ninguém merece ficar ouvindo reclamação.  É o que diz aquele velho ditado: “os incomodados que se mudem”; e eu tenho que “mudar” ao invés de reclamar, reclamar e reclamar.  Então, um dia, quando os meus pés estiverem bem longe do “W gigante”, eu sento e escrevo.  Por enquanto, observo e continuo trabalhando.

Voltar a trabalhar, apesar do stress e da “decepção”, fez muito bem pra mim; reencontrei alguém que eu tinha perdido há 8 anos, reencontrei a Vanessa capaz de “fazer e acontecer”, a Vanessa capaz de trabalhar e ser mais do que somente mais um número na lista de funcionários, no meio da multidão.   Além de também, voltar a enxergar tudo o que a vida sempre me deu de bom… pais e avós maravilhosos, que sempre lutaram muito para que eu tivesse uma boa educação e uma boa vida; e quando eu digo educação, não me refiro somente a educação escolar, porque apesar de extremamente necessária, não é a mais importante; refiro-me principalmente a educação que vem de dentro de casa, ou melhor dizendo, de dentro de um lar, aquela que ensina um ser humano a SER humano, a respeitar o próximo, a ser educado, a ser honesto, a ser cidadão, a ser trabalhador, etc; tudo aquilo que todos os pais tem a obrigação de fazer, mas poucos tem a coragem, o pulso forte e a moral de tornar realidade.  Portanto, termino este post agradecendo meus pais ( É Dona Dilma! Essa é pra vocês, chama lá o Carlão para ler este post com você), por absolutamente TUDO o que me deram: do pão ao tapa na bunda. 😉  Tudo.

Obrigada, Mãe e Pai.  Obrigada por TUDO.  Suas noites mal dormidas, horas de trabalho, tapinhas na bunda, broncas, regras, amor e muito carinho não foram em vão; o Fá e eu não somos rei e rainha, mas somos tudo aquilo que um ser humano precisa ser: humanos e honestos.

Dizer “eu amo vocês” é muito pouco, porque o meu amor por vocês é milhões de vezes maior do que a expressão.  Obrigada!  Obrigada!  Obrigada!  Vocês foram, são e sempre serão os melhores pais do mundo; os melhores pais do meu mundo.

2 Responses to “No meio da multidão”

  1. Priscila Says:

    E quando eles diziam ” ‘e para o seu bem, quando vc crescer vai entender” a gente nunca entendia…

  2. leticia Says:

    “do pão ao tapa na bunda” – adorei!!