Archive for January, 2009

Nunca mais esqueci

Thursday, January 29th, 2009

Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
– depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.

O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio…

Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.

Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

Canção, Cecília Meireles

Analisei esta poesia, na faculdade, há muitos anos atrás… decorei e nunca mais esqueci.

Ideia?

Thursday, January 22nd, 2009

A Língua Portuguesa passou por uma reforma ortográfica.  Já parou para prestar atenção nas mudanças? O G1 criou um guia em pdf super fácil de consultar.  De todas as mudanças, a que mais me incomoda é o fim do acento agudo nos ditongos abertos… Ideia? Plateia? Heroico?  Estranho, não?  As outras mudanças são normais, parte da evolução do idioma, mas essa dos ditongos abertos… tem cheiro de preguiça. 😉

P.S:  Para quem gosta de tudo explicadinho nos seu mííííínimos detalhes, o guia da Folha de São Paulo é bem mais técnico e detalhado.

Leia mais sobre a reforma ortográfica aqui.

01.20.09

Tuesday, January 20th, 2009

Pronto… já dá para voltar a respirar…

Good luck Mr. President. 🙂

Calendário

Tuesday, January 6th, 2009

Pois é… 2009 começou e… nada mudou. 😉  Engraçada esta idéia de que da noite para o dia, o calendário velho vai pro lixo e junto com ele todos os problemas e “magoas” do ano que passou.  O povo “toma todas”, dança, canta, chora e, no dia seguinte, começa o ano com ressaca.  Eu sempre fui do tipo quieta… em Sampa, gostava de abrir a janela do quarto dos meus pais e ver os fogos de artifício, sozinha, a meia-noite, enquanto a família inteira festejava na parte de baixo da casa.  Depois de alguns minutos, entretanto, descia e cumprimentava todo mundo, antes que alguém achasse que eu estava “tristinha”.

Não era tristeza… era reflexão.  Refletir sobre o passado recente, colocar os pingos nos “is” e simplesmente pensar…  Este ano, fiz festa… tomei umas 3 Pina Coladas de morango… umas duas taças de champagne e, no dia seguinte, como não podia deixar de ser, umas duas aspirinas.  RS 🙂

Nada mudou… a não ser o calendário da cozinha.