Espelho

A depressão é uma doença estranha.  Não é física, mas dói no corpo inteiro.  Não sangra, mas machuca; e no meu caso, parece ser eterna. Às vezes, única; outras vezes, mínima, mas sempre presente.

O ano passado, encarei a depressão de frente e aprendi a lidar com os meus sentimentos e pensamentos.  Antes, era dinossauro.  Hoje é pulga.  Incomoda, esconde-se e, muitas vezes, existe sem ser notada.

Eu ainda penso muito… Penso mais do que deveria pensar.  “Argumento” a vida. “Pondero” os segundos.  “Alongo” os minutos… mas aprendi a olhar para o lado e, logo em seguida, para o espelho.

Comments are closed.