No-poop!

Parece coisa do século passado, mas no meu bairro, ainda existem pessoas que fazem do jardim dos outros, a privada dos cachorros deles… Ahã! Dá para acreditar em uma coisa destas…? A situação é tão ridícula, que maridon e eu resolvemos comprar umas plaquinhas para colocar no gramado, em frente à casa. Estou indecisa entre:

Eu gostei das duas verdinhas… Que tal? 😉

3 Responses to “No-poop!”

  1. Tom Says:

    Gostei das duas em cima…..com o cachorro fazendo a sujeira.
    Aqui quem deixa o cachorro faz sujeira está sujeito a uma multa. Saimos de casa e pedimos dos andando com cachorros para nos mostrassem os sacos plasticos para a poop do bichinho. Se não tiver os sacos disponiveis andamos junto com eles com uma maquina fotografica em mão. Estes não gostam muito de vir em nosso subdivision (temos uma rua sem saida e de vez em quando alguem entrar e estaciona o carro com fins de passear com o cachorro). E, de vez em quando, é um vizinho proprio ou parente visitando que vem andando com o bicho procurando um lugar para marcar. Não temos medo de os confrontar. Um vizinho tem placas como as de cima. Gente nos trata na maneira que os deixamos nos tratar. Se estiver em casa sai com o celular em mão, tira umas fotos e esteja preparada para chamar o Animal Control. Aposto que tem leis em vigor para lhes proteger contra este ato. Tem um Homeowners’ Association? Lique para o Presidente e registra um queixo. Sei que vai ter resultados bons (sendo Presidente da Assn aqui recebo as chamadas e vou direitamente falar com o dono do bicho em questão sabendo quem controle o bicho é o dono).

  2. leticia Says:

    eu gostei da “if your dog poops…”
    sinceramente não me conformo com esse tipo de coisa… aqui no bairro é uma desgraça, mas vejo que no geral em sp o negocio está melhorando. Nunca esqueço de uma foto do John-jonh Kennedy pegando a cáca do seu labrador em NY. Ser educado é muito chique!! hehehe

  3. Mauro Says:

    Gostei da primeira (“your dog did his duty…”). É mais séria. Esse pessoal não precisa de humor, precisa de paulada no meio da testa para se tocar.