A grande mudança – Parte 1

Antes que a mudança para South Carolina vire “old news”… aqui vai o primeiro post sobre esta mudança de estado e de vida.

Eu nunca fui apaixonada por New Mexico; tentava olhar “o lado positivo” das coisas e admirar “a beleza peculiar” do estado, mas o horizonte infinito e os dias secos nunca foram parte do meu cenário preferido. Clovis é uma cidadezinha minúscula, no meio do nada. Qualquer lugar mais movimentando e civilizado fica a cerca de 2 horas de carro. Seis anos em Clovis foram seis anos de aprendizado e paciência (muuuuita paciência). Portanto, a notícia de que iríamos mudar para outro estado foi, para mim,  o presente da década.

Deixar a cidade foi um presente.  Deixar os amigos… nada fácil. Seis anos é tempo suficiente para criar raízes e “família”. Por mais que você tente não se apegar as pessoas, não há como não fazer amizades fortes. Saí de Clovis sem pensar duas vezes e sem olhar para trás (para não ver os amigos que ficaram por lá); aliás, a mesma estratégia que uso nas minhas visitas ao Brasil: cabeça erguida e bola pra frente, que atrás “ficou” gente.  Do contrário, a gente não quer voltar, não quer deixar ninguém pra trás; quer ficar, e este não querer machuca pra caramba.

A viagem de New Mexico à South Carolina foi tranquila. Maridon na frente, puxando o trailler com a Durango; e eu atrás com o meu carro.  O Snoopy e a Pitanga foram na SUV com o maridon.  Os gatos foram no carro, comigo, fazendo sinfonia pela primeira hora de viagem, todos os dias (bem ao estilo do comercial da “Meow Mix“.

Começamos a viagem em New Mexico, numa sexta-feira (4 de janeiro de 2008), atravessamos parte do Texas e fizemos um desfio grandinho, para visitarmos um casal de amigos queridos, em Tulsa, Okalahoma. Quando voltamos a pegar a estrada, atravessamos o Texas (pela última vez nesta viagem), passamos a noite em Louisiana; curtimos algumas horinhas de estrada nos estados de Mississippi e Alabama, passamos a noite em Georgia; e, finalmente, chegamos à South Carolina (10 de janeiro de 2008).

O total da viagem foi de 7 dias, com uma parada de 3 dias, em Tulsa; ou seja, 4 dias de estrada, desde New Mexico até South Carolina.

 

Não deu tempo de tirar fotos… nem de passear pelos estados.  Nossa missão era dirigir, dirigir, dirigir e chegar aos nossos destinos planejados. Também… imaginem, não há como passear e conhecer lugares, acompanhados de um zoo… 😉

Chegamos à South Carolina super tarde. Eu estava super cansada e irritada (“O lixo do resto do que sobrou.”, como diria um ex-colega de trabalho.). A viagem foi longa e cansativa (motoristas imbecis existem em qualquer lugar do planeta); mas no final das contas, muito mais fácil do que eu imaginava.

Bom, por hoje é só… já deu para introduzir “a grande mudança”; depois continuo este blá blá blá todo… 😉 Inté!

One Response to “A grande mudança – Parte 1”

  1. Tom Says:

    Excecelente! Uma historia que possa ser editada e feita num livro….primeiro capitulo escrito p’ra gente.
    Seis anos no mesmo lugar não é muito estranho para a USAF. O problema sendo que tem bases em lugares pessimas – Minot, Clovis, etc. Sabia que existe uma commissão do governo que busca lugares frias, quentes, inhospitaveis, etc….para unidades militares!! Fort Knox em Kentucky com mosquitos, Fort Drum em NY com gelo e neve (sede da divisão de guerra nas montanhas), etc. Os coitados dos Marines tem Parris Island com areia e pulgas de areia.
    Esta mudança para civilização vai mudar a sua vida para o melhor, tenho certeza.